Notícias - Repercussão / Publicado em 14/11/2017 às 15:11

Vereadores criticam falta de diálogo do Executivo sobre a terceirização do Postão 24 Horas

Vereador Adiló Didomenico. Foto: Divulgação/Câmara.
Vereador Adiló Didomenico. Foto: Divulgação/Câmara.
O tema centralizou o Grande Expediente do Legislativo na sessão desta terça-feira (14). O debate foi puxado pelo vereador Adiló Didomenico (PTB). Segundo o petebista, esta é mais uma forma de desmonte da máquina pública.

Rodrigo Beltrão disse que o desmonte do Postão 24 Horas vem sendo articulado há tempos pelo prefeito de Caxias do Sul, Daniel Guerra (PRB). Segundo o petista, o Executivo sucateou o serviço e impulsionou a sociedade a culpar o servidor público pelos problemas de atendimento. Com isso, justificou a privatização do Postão.

Quem também se pronunciou contra a terceirização do Postão foi o vereador Rafael Bueno (PDT). Conforme ele, o prefeito se elegeu com a bandeira de valorizar e agora age contra o servidor público. O pedetista disse que Daniel Guerra pregou um discurso e pratica outro bem diferente.

A privatização do Postão 24 Horas também foi criticada pelo deputado federal Pepe Vargas (PT-RS). Ele também esteve no plenário da Câmara. O Pronto Atendimento foi inaugurado quando ele era prefeito de Caxias. Segundo o parlamentar, a decisão do governo municipal é equivocada. Fato que pode causar a precarização em vários níveis da prestação do serviço.

Outro fato bastante criticado pelos parlamentares foi o Executivo não ter pedido parecer do Conselho Municipal de Saúde. Segundo os vereadores, o colegiado tem caráter deliberativo e deveria ter sido consultado.