Notícias - FDCL / Publicado em 13/01/2018 às 14:34

Presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas defende ações para fortalecimento da indústria têxtil

Foto: FDCL/Divulgação
Foto: FDCL/Divulgação
O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), Vitor Augusto Koch, defende o desenvolvimento de novos projetos para beneficiar a indústria têxtil gaúcha já a partir de 2018. Empossado novamente no cargo na semana passada, o empresário também destaca outras ações que serão acompanhadas de perto pela FCDL, como trabalhos voltados para a qualificação e para a competitividade do comércio varejista, de serviços e também da área industrial.

Conforme Koch, uma das ações previstas para 2018 é o desenvolvimento das Câmaras Setoriais, que agirão para aproximar os lojistas da indústria, em especial na área têxtil. Ele explica que a cada ano o Rio Grande do Sul tem menos empresas que confeccionam peças de vestuário e acessórios, e que os lojistas buscam mercadorias de outros estados para se manterem competitivos. Koch acredita que se houver entendimento entre as partes interessadas, também haverá mais riqueza aos cofres públicos e aumento na oferta de vagas de emprego.

Vitor Augusto Koch afirma ainda que dará continuidade aos trabalhos que já são desenvolvidos pela FCDL, dentre os quais um deles cujo foco está na qualificação ao varejo. Ele destaca que a ação é considerada uma das maiores do País no quesito de qualidade financeira voltada para a sustentabilidade dos associados, e conta atualmente com mais de 1,5 mil empresas cadastradas e 15 mil colaboradores.

Em relação ao cenário econômico do Estado para 2018, ele acredita na retomada do fluxo positivo de investimentos e no retorno da credibilidade do governo. Koch salienta que todos os índices econômicos apontam crescimento, mas diz que o Palácio Piratini precisa continuar aprovando medidas assertivas, citando, como exemplo, a redução de juros.
Além disso, outra medida que deve ser tomada ainda neste ano é a oferta de diversos cursos de aperfeiçoamento. Koch explica que os ensinamentos podem ser ajustados para vários setores produtivos da economia, dentre os quais as áreas de comércio varejista, serviços, indústria e também agronegócio.